Fórum Rio Content 2013

Comentários

Profissionais falam sobre o desenvolvimento da indústria áudio visual brasileira e produção independente.

Transcrição

Mauro Garcia, Diretor Executivo – ABPITV – Nós estamos na terceira edição do Rio Content Marketing.

Marco Altberg, Presidente – ABPITV – O que deu certo, foi trazer o mercado internacional para o Brasil.

Mauro Garcia, Diretor Executivo – ABPITV – O primeiro encontro após a lei 2485.

Marco Altberg, Presidente – ABPITV – Mas o importante aqui é que a gente está caminhando em direção em desenvolvimento de uma indústria de áudio visual e de produção brasileira independente.

Rodrigo Salinas – Advogado – Eu acho que pela nossa formação, pela tradição política brasileira a tendência da legislação brasileira é se espelhar nas referências Européias do que nas referências Norte Americanas. Seja em relação a proteção do direito autoral ou seja em relação a proteção da imagem, dos dados sobre as pessoas.

Stephane Milliere – CEO, Gedeons Group – As vantagens comerciais com o Brasil é que compartilhamos histórias juntos, de bom conteúdo. Então, podemos encontrar lucro em ambos os lados. Você consegue dividir o talento, a criatividade e consegue mais dinheiro do que no seu país, coproduzindo com um país estrangeiro.

Mandy Roger – Diretora de Negócios -M-Net – Eu acho que a melhor coisa é que africanos são bem específicos por assistir conteúdo em sua própria língua, algo que se aproxime deles, algo com que possam se identificar. Então, muitas produções estrangeiras não atravessam as fronteiras necessariamente tão fácil quanto latino-americanas ou como conteúdo o brasileiro consegue. Sendo assim, as possibilidades para o conteúdo brasileiro são infinitas.

Mauro Garcia, Diretor Executivo – ABPITV – E a gente apresenta algumas tendências aqui. Uma delas ta muito forte, esse ano aqui é o branded content.

Jonathan Mildenhall – VP de Conteúdo Global – Coca-Cola – Algumas das maiores tendências do mercado de conteúdos pelo mundo consistem no fato de que anunciantes e suas campanhas precisam ser integradas em um desenvolvimento de conteúdo. Nós precisamos de conteúdo que vá ajudar o futuro entendimento das pessoas sobre os papéis que nossas marcas exercem nas diferentes plataformas de conteúdo. E o que me deixa empolgado é essa grande tendência de que criadores e anunciantes estão se unindo para desenvolver soluções antes de enviá-las para a mídia.

Bernhard Hefenscher – Diretor de Negócios – Red Bull – Eu acho que o truque é a diversificação em múltiplos canais de mídia. Não são apenas alguns canais da mídia a fazerem isso. São vários que estão crescendo. Veja uma nova e lucrativa mídia, o Netflix por exemplo, que é uma companhia com a qual estamos trabalhando. Seus serviços estão disponíveis para 200 tipos diferentes de plataformas técnicas ou de acesso. E eu acho que esse é a tendência de crescimento.

Mauro Garcia, Diretor Executivo – ABPITV – Outra tendência e não poderia deixar de ser, o ano que antecede o primeiro evento esportivo é uma sala só ou de canais de clube, ou de apresentação de canais de esporte.

Sven Schaeffner – Diretor – Tv Fifa Brasil – A Fifa em príncipio a gente sempre têm interesse em entrar em parceria de produção áudio visual de produtores independentes, enquanto respeite a exclusividade que a gente dá para os nossos detectores de direito, mas, a gente têm uma produção ampla digamos de conteúdo pré evento, até mesmo pós evento de documentários de longa, de curta, onde a gente sempre entra em cooperação com produtores independentes.

David Hooper -Diretor geral – Espresso TV – Em relação ao Brasil, eu acho que as oportunidades estão aí para companhias de produção independente, não temos mais uma grande emissora envolvida nas Olímpiadas nesse ano, então existem oportunidades de coprodução com outros países europeus, britânicos, tanto quanto os australianos ou companhias note-americanas fornecendo conteúdo diversificado ao longo das Olimpíadas.

David Cornwall – Diretor executivo – Scorpion TV – A importância para o país que sedia os Jogos Olímpicos é que todo o foco mudial estará voltado para o mesmo. Todos verão como o Rio é bonito, como o Brasil é bonito e como as pessoas são bonitas. E também haverão ótimas oportunidades apresentadas para a produção e outras indústrias.

Mauro Garcia, Diretor Executivo – ABPITV – Então os canais entenderam que a parceria com a produção independente também ajuda a incrementar os orçamentos deles. Então nós mudamos. Nós não somos mais prestadores de serviços,nós somos parceiros e também somos aliados inclusive na captação de recurso para financiar a produção independente.

Newsletter

Seu conteúdo | Nossa distribuição